Benefícios do Óleo de Orégano

O orégano (Origanum vulgare), também conhecido como orégano selvagem, manjerona-baiana, manjerona-selvagem, manjerona, orgão, ouregão. é uma planta condimentar largamente utilizada na culinária. Existem dezenas de espécies, e isso pode interferir em muito no uso terapêutico desta planta e em suas indicações.

Pesquisas atuais têm apontado o óleo de orégano como um eficaz remédio no tratamento do câncer. Ele também é considerado um dos mais eficazes óleos de ação antimicrobial e antifúngica

Duas substâncias se destacam como princípio ativo, Carvacrol e Timol.  Possui também flavonóides, ácido rosmarínico, triterpenos (e.g. ácido oleanóico, ursólico, 4-terpineol, g-terpineno), esteróis, vitamina A, vitamina C, cálcio, magnésio, zinco, ferro, potássio, cobre, boro e manganês.

Seu óleo essencial, de coloração marrom-avermelhada, e como já dito, apresenta como componente majoritário o carvacrol (65% no mínimo), um poderoso agente antioxidante e anti-inflamatório.

O carvacrol possui propriedades antibacterianas, anti-inflamatórias, antimelanomicas, antioxidantes, antirradicais livres, antifúngicas e anticancerígenas, todas comprovadas cientificamente.

Mecanismo de ação: O Carvacrol, em particular, tem a propriedade de inibir o crescimento de Candida albicans. O Timol estimula resposta imune. Em conjunto atuam também como varredores de radicais livres. Estes ativos atuam sinergicamente, portanto, previnem danos teciduais enquanto favorecem a cura.

Foto artigo - Oleo de orégano e a cândida

Tratamento de câncer e outras doenças

Pesquisas atuais têm apontado o óleo de orégano como um eficaz remédio no tratamento do câncer

O orégano também tem se mostrado extremamente eficaz no tratamento de infecções de todos os tipos e processos inflamatórios, como furúnculus, feridas inflamadas, pneumonia, acne, sinusite, amigdalite, artrite, tuberculose, problemas estes muitas vezes anteriormente tratados com antibióticos alópaticos e não resolvidos.

Os óleos essenciais possuem um processo interessante e que vem sendo estudado: as bactérias e os microorganismos em geral não criam resistência ao longo do tempo, como contra os medicamentos (ex.: antibióticos).

A explicação para isso estaria talvez no fato de o óleo essencial ser proveniente de uma complexa engenharia biológica presente na planta que produz um produto totalmente exclusivo seu, feito especificamente para resistir ao meio ambiente.

Outra explicação estaria no fato de óleos essenciais naturais possuírem uma frequência energética muito alta, o que por observações in vitro comprovou-se ter uma ação inibitória do crescimento de bactérias.

Podemos exemplificar com o experimento da Faculdade de Farmácia da Turquia, que demonstrou uma atividade do óleo de orégano (Origanum onites) como efetivo na prevenção do diabetes melitus e como retardador do desenvolvimento de uma série de complicações advindas com a doença. Também se estudou a possibilidade de efeitos do óleo sobre os níveis de glicose do sangue, mas nenhuma alteração neste sentido foi constatada.

Dicas importantes

O óleo de orégano pode reduzir a capacidade do organismo de absorver ferro, por isso é aconselhável suplementação de ferro enquanto se está ingerindo este óleo.

Em virtude disso, é desaconselhável mulheres grávidas usarem o óleo de orégano.

Pessoas alérgicas a hortelã, tomilho, manjericão e sálvia, podem ser alérgicas ao óleo de orégano também.

Antes de ingerir, é importante aplicar pouca quantidade do óleo em uma pequena região da pele para averiguar se há reações alérgicas. Se isso ocorrer, não use o óleo de orégano.

O óleo de orégano ou o óleo essencial de orégano (veja artigo sobre “óleos essenciais” para saber a diferença) é um óleo caro, mas vale a pena investir nele.

A ingestão de óleo essenciais não é permitida pela Anvisa, que recomenda apenas seu uso externo. Contudo, não conheço restrição quanto ao uso dos óleos (orégano, soja, girassol, oliva, coco, cártamo, argan, etc).

Editado: Recentemente tive notícia de que a dificuldade em se encontrar óleo de orégano no mercado se dá em virtude da Anvisa não ter liberado sua comercialização. Todavia, não consegui confirmar esta informação.

Sempre consulte um profissional habilitado para te orientar (médico, nutricionista, fitoterapeuta, etc).

Beijos e até mais.

 

Fontes:

http://curapelanatureza.blogspot.com.br/2012/01/oleo-de-oregano-beneficios-contra-o.html

http://www.fitoterapia.com.br/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=317

Leave a comment

Deixe uma resposta